Confira as listas de material 2018! Leia mais

Venha fazer parte da Família Santos Anjos! Leia mais

Curta e compartilhe! Leia mais

 

Congregação

 

logo_congregacao_santos_anjos_182_anos

Em pleno século XIX, num período histórico difícil para a França, onde a Igreja não só era marginalizada, mas perseguida, surgiu a Congregação dos Santos Anjos. Mesmo em meio às adversidades de seu tempo, a Fundadora – Madre Maria São Miguel – conservou e espalhou a fé, trazendo sua pedra para a reconstrução de um mundo mais cristão. Recebendo no batismo o nome de Bárbara Elisa Poux, a futura Madre Maria São Miguel participou como elemento transformador, oferecendo valiosa contribuição, preocupando-se com o que há de mais importante para um mundo melhor: a EDUCAÇÃO.

Respondendo às aspirações do vigário Père Agathange e da educadora Anne-Marie Viret, que há anos ansiavam por fundar uma comunidade religiosa e um colégio em Lons , voltado à educação das jovens francesas, em 15 de outubro de 1831, deixou sua escola em Poligny para ser a diretora do “Santos Anjos” em Lons, onde deparou-se com um internato a organizar e uma Congregação a fundar. Diretora zelosa, um ano depois já assegurara a reputação da

casa, tanto pela seriedade dos estudos como pela educação e disciplina que proporcionava. Ali também fez multiplicar os sentimentos da fé e os gestos de caridade que as alunas deveriam ter pelos outros e umas com as outras.

Nasceu então a Congregação dos Santos Anjos a partir desse internato, criado para promover a educação cristã das moças da classe média francesa, órfãs ou não. E aí está a página mais rica da história de Madre Maria São Miguel, que faleceu em 1855 – a missão educacional a que se dedicou com afinco e amor.

Mas o fechamento, no início do século seguinte, das escolas religiosas, golpeou a obra voltada essencialmente à educação, o que a levou, para subsistir material e espiritualmente, a se transformar em outras obras. Lançaram-se então, ao mundo, as Irmãs dos Santos Anjos, na sua missão de formar e evangelizar.

Chegando ao Brasil em 1893, na cidade do Rio de Janeiro, foi fundado o primeiro colégio brasileiro dando início à fundação dos Santos Anjos no país, seguido por outro em Curitiba e assim sucessivamente foram surgindo outras tantas unidades para difundir os princípios religiosos, humanitários, educacionais e o carisma de sua Fundadora. A Congregação prosperou graças à abnegação, à dedicação carinhosa e paciente; à incansável luta pelas causas sociais e à excelente administração das Irmãs dos Santos Anjos, que cercadas por um grande número de leigos que engajaram-se à obra de Madre Maria São Miguel, a ela se dedicam com carinho e entusiasmo.

Assim é que hoje existem:

os Colégios dos Santos Anjos de Vassouras e Rio de Janeiro (RJ), de São Paulo (SP), de Além Paraíba, Juiz de Fora e Varginha (MG) e o Centro Educacional Santos Anjos, de Caçador (SC) – voltados à educação integral, humana e cristã;

as pequenas comunidades de Afonso Cláudio (ES), Itabi (SE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Santo Antonio do Aracanguá (SP), São José dos Pinhais (SP), Vitória (ES) e a Comunidade Bárbara Elisa (Belo Horizonte/MG) – criadas para que junto às paróquias desenvolvam e prestem serviços comunitários à população carente;

a Casa do Menor (Marcelino Ramos – RS) que atende crianças e jovens que vivem em situação de risco social ou cujas mães precisam trabalhar fora e não têm com quem deixá-los;

a Betânia – Casa de Encontros e Oração (Vassouras/RJ) ; os Aspirantados em Aratiba (RS), Caçador (SC) e Ibatiba (ES) e a Casa de Formação (Rio de Janeiro/RJ) – que promovem a reflexão entre a comunidade e dão suporte vivencial, intelectual e material às vocacionadas;

os Hospitais Maicé e Jonas Ramos (Caçador/SC); Divino Espírito Santo (Fraiburgo/SC) e Nossa Senhora dos Anjos (Rio das Antas/SC) – que atendem gratuitamente a grande maioria da população carente de assistência à saúde;

a Casa de Repouso Madre Mª São Miguel (Juiz de Fora/MG) – que atende a senhoras idosas;

a Casa Generalícia – que supervisiona, administra e distribui os recursos a todas as unidades inseridas nos locais carentes de assistência social, educacional e à saúde existentes nas regiões do país.

Há ainda na França a Comunidade dos Santos Anjos em Perpignan e a Casa de Mâcon que conserva uma pensão para senhoras, um restaurante escolar e um pensionato para jovens.

Em Varginha, o espírito empreendedor, a perspicácia, a fé da Madre Fundadora, inspiram as Irmãs do Santos Anjos que já formaram dedicados pais e mães, médicos, advogados, atletas, juízes, políticos e outros tantos cidadãos conscientes de seus papéis sociais, testemunhos concretos da justiça e caridade difundidos por ela. Exemplos como os das Irmãs dos Santos Anjos dão-nos estímulo para que saibamos contribuir para a sociedade em que vivemos, suprindo-a em suas faltas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *